17 fevereiro, 2017

Seminário de Ituporanga recebe 29 jovens

“Deus ama! E, porque ama, chama”! (Cencini).
Com espírito de gratidão Àquele que chama, a Fraternidade de Acolhimento Vocacional de Ituporanga recebeu na última segunda-feira, 06 de fevereiro, vinte e nove jovens que desejam fazer a experiência de seguimento de Jesus Cristo, a exemplo de Francisco, juntamente com a Fraternidade Local.

A gratidão se estende também às Fraternidades da Província que, juntamente com os Animadores do SAV provincial, realizaram o acompanhamento vocacional desses jovens. As Fraternidades são: Chopinzinho; Colatina; Concórdia, Coronel Freitas; Guaratinguetá; Ituporanga; Lages – Convento; Nilópolis – Aparecida; Rio de Janeiro – Santo Antônio; Santo Amaro da Imperatriz; São Paulo – Largo São Francisco; Sorocaba; Vila Velha.

Observando o Plano de Evangelização, a Fraternidade descobre a leveza de um acompanhamento vocacional desvinculado do colégio interno. Este modelo de acolhimento vocacional proporciona acolher com maior facilidade os jovens inspirados pelo Espírito e chamados por Deus para o seguimento do Filho.

Sem o colégio interno, pode-se alargar o Acolhimento Vocacional. A Fraternidade recebeu já neste ano jovens que cursam desde o nono ano até o terceiro ano do Ensino Médio, e, também, aqueles que já concluíram estas etapas acadêmicas e que terão a oportunidade de realizar a experiência de uma segunda FAV durante este tempo de acolhimento: “Quando à FAV, dar a necessária atenção às várias modalidades de expressão, sem absolutizar um modelo particular” (Doc. Vinde e Vede)”

Foi um passo profético e bem tomado que atualiza a proposta do documento da Ordem Vinde e Vede, para a animação vocacional: “No projeto provincial de PV, procure-se indicar uma casa, qualificada como FAV. Procure-se também identificar aspectos significativos de nossa vida e missão, presentes em várias Fraternidades da Província, de forma a oferecer aos jovens em busca vocacional a possibilidade de experimentar a riqueza e a variedade de situações em que a Fraternidade se encarna”.

Buscando a formação dos candidatos para o Postulantado, conforme o proposto pela Ordem, é proporcionada a cada grupo uma modalidade diferente. Dividido em dois grupos menores, um estuda na escola pública pela parte da manhã e outro participa das formações juntamente com a Fraternidade. O período da tarde e noite são dedicados para a formação humana, religiosa e franciscana, para os trabalhos (não mais agrários), para a manutenção da casa e, ainda, para as aulas de reforço de Língua Portuguesa e Informática com os próprios frades, dispensando a contratação de professores.

Destaca-se, ainda, o trabalho pastoral junto às realidades mais necessitadas de Ituporanga: animação vocacional nas turmas de catequese, participação na Pastoral do Hospital Bom Jesus, atenção aos idosos do Abrigo Mão Amiga, colaboração nos trabalhos da APAE e visitas aos doentes do bairro.

Neste último domingo, na celebração Eucarística, os jovens vocacionados foram acolhidos pela comunidade de fé que participa da vida da Fraternidade. Na celebração, o presidente agradeceu mais uma vez ao povo de Ituporanga que benignamente acolhe esses jovens nesta terra e que assume, com zelo e dedicação, a missão de participar da formação nesta casa: “Fazer todo o esforço para constituir nas Províncias a FAV, para passar da animação da PV confiado a uma pessoa para a constituição de Fraternidades vocacionais, que – além de apresentar melhor nosso carisma – são um ótimo meio pedagógico no processo de acompanhamento” (Doc. Vinde e Vede).

Fraternidade São Francisco de Assis - Ituporanga







16 dezembro, 2016

Mesa Diretora do Grêmio Literário com Novos Membros !!




Na última Sexta-feira ( 02/12) aconteceu no Espaço Cultural São Francisco o encerramento das Atividades do Grêmio Literário Santo Antônio do ano de 2016, com as eleições para presidente e Secretário da Mesa Diretora para 2017.












Foram eleitos para Presidente Mateus de Oliveira  e para Secretário Odirlei Luiz Possa Fante e substitui Lucas Moreira Almeida e Franklin Matheus da Costa .

                         






                  
                                                 


Desejamos a eles um bom ano !!!

PAZ E BEM 

Equipe de Comunicação

10 dezembro, 2016

5 hábitos que todo católico pode ter


Todos os dias Deus realiza um milagre, que muitas vezes, passa despercebido em nossas vidas. Ele nos dá a oportunidade de acordar e construir uma nova história vivendo um novo dia. Por isso para que a nossa vida seja um verdadeiro louvor a Deus, cinco hábitos (bem simples) são recomendados para que a nossa vida esteja sempre unida ao mistério de Deus.

1. Agradecer a Deus pelo dom da vida


 Ao acordar, a primeira (e melhor) coisa que podemos fazer é agradecer e oferecer a Deus o novo dia que Ele nos presentou, com uma oração simples e sincera que brote do nosso coração.

2. Ajudar alguém (fazer caridade)


Ao longo do dia podemos realizar pequenas obras de caridade que revelam o amor a Deus e o amor ao próximo. Por exemplo: Dizer palavras de agradecimento e educadas, olhar nos olhos da pessoa com quem estamos falando ou ajudar alguém no trabalho, na escola ou em casa fazem com que as pessoas se sintam amadas e valorizadas e vejam o Amor de Deus em nós.

3. Ler a Palavra de Deus todos os dias


A leitura da Palavra de Deus é uma das formas dEle falar conosco. A Palavra de Deus nos fortalece na caminhada e está acessível em diversos formatos (Bíblia, aplicativos de celular, sites na internet, etc). A meditação das leituras do dia é a melhor forma de pouco a pouco ir criando intimidade com a Palavra de Deus, aumentando a nossa fé e fortalecendo a nossa caminhada, além de nos ajudar a participar melhor da Santa Missa.

4. Rezar o Terço e/ou o Ângelus


O terço é uma maneira de meditarmos os diversos momentos da vida de Jesus atualizando-os para o nosso dia a dia. O terço pode ser rezado em diversos momentos do dia. Tem gente que gosta de reza-lo ao acordar, ou antes, de dormir, outros que o rezam no caminho para o trabalho ou até mesmo enquanto espera alguém e até enquanto estão realizando alguma atividade. O importante é rezar com devoção e com o coração. 

Outra meditação que podemos fazer é a oração do Ângelus, uma breve, simples e muito bonita tradição da Igreja. A oração do Ângelus consiste em rezar de uma a três vezes ao dia (6h, 12h, 18h) meditando sobre a Anunciação do Senhor e honrando Jesus e a nossa Mãezinha.

5. Agradecer a Deus pelo dia que se passou


Antes de dormir é sempre bom falar alguns poucos minutos com Deus, fazendo uma pequena recordação, breve, do que se passou no dia (os fatos alegres, tristes ou rotineiros) como uma forma de louvar e agradecer pelo dom de ter vivido tudo isso e poder descansar.


Por fim, a nossa vida pode ser sempre um grande louvor a Deus, com esses cinco hábitos simples podemos trabalhar a nossa fé e estar sempre em contato com esse nosso Pai e Criador que se faz presente em todos os momentos da nossa vida e da nossa história.

Deixe seu comentário!

Paz e Bem!

Marcelo Tadeu da Silva Cardoso (32)
Aspirante




05 dezembro, 2016

O PEQUENO PRÍNCIPE

Discurso no Grêmio Literário  – O PEQUENO PRÍNCIPE




“Só se vê bem com o coração. O essencial é invisível aos olhos”. Frase do livro O Pequeno Príncipe.
Caros irmãos, falarei a vocês sobre as duas realidades e o objetivo, que são expressos no livro O Pequeno Príncipe.
Bem, vocês podem perguntar: Por que escolhi uma obra infantil para a minha prolação? Posso responder-lhes que dela pude refletir a realidade que vivemos os fatos que acontecem no mundo e como podemos mudar; fazer o novo para nós e a cada indivíduo.
Então, divido o meu discurso em três tópicos, sendo o primeiro: “As Pessoas Grandes”; o segundo: O Significado de Ser Criança; e o terceiro: O Essencial.
No meu primeiro tópico, falando das “Pessoas Grandes”. Mencionarei personagens participantes da história do Pequeno Príncipe, que revelam características do próprio adulto, ou melhor, do “homem sério”. Logo, os que me chamaram mais a atenção foram: o Rei, o Vaidoso, o Bêbado e o Empresário. O primeiro, então, cria um aspecto autoritário e egoísta, do qual resulta numa “soberania”; sente-se maior que as pessoas e tenta controlá-las para satisfazer somente a sua vontade, é um ditador. No segundo, é mostrada a grande importância pela aparência, a estética; revelando um egocentrismo, do qual a pessoa é melhor em tudo, um ser perfeito e “imortal”. Isso é revelado, inclusive, quando o menino príncipe pergunta o que é o ato de “admirar” e o Vaidoso responde com muito orgulho: “Significa reconhecer que eu sou o homem mais belo, mais bem-vestido, mais rico e mais inteligente de todo o planeta”. Sabendo que apenas ele morava naquele mundo, demonstra claramente que esse está preso a um lugar só seu; como dizem: está no seu “mundinho”; das vaidades. O terceiro é o Bêbado, tem uma vida triste e amargurada, não quer mais fazer algo; não pensa nem age, tenta só ficar no seu canto fazendo o que mais gosta: beber para esquecer os seus erros cometidos; pois a esperança de seguir em frente é inexistente, foi cessada, acabou. Como tinha dito ao garoto: “Bebo para esquecer que tenho vergonha de beber”. Por quarto, o Empresário faz-se como uma pessoa administradora, sua vida é resumida no “possuir mais”; querer todas as coisas do mundo, ou mesmo, do universo. Ele somente pensa em ganhar algo para que sua quantidade de propriedades aumente, é ganancioso, não tem tempo para nada, nem para fazer exercícios físicos – disse ao menino – que, por falta disso, teve crise de reumatismo. Assim, as coisas que ganha só poderá utilizar para duas funções: Contar e Recontar.
Agora passo para o segundo tópico, questionando novamente vocês: O que é ser criança? Podemos pensar, primeiramente, naquele ser humano pequeno que gosta de brincar, é curioso, chora por uma coisa que deseja, ou mesmo, procura intensamente aquilo que perdeu? Isso está totalmente correto. Assim é ser uma criança; as crianças são felizes, pois sabem o que procuram. Como foi revelado na parte que o menino encontra um manobreiro. Elas buscam saber mais, como já dito antes: são curiosas. Questionam seus pais, os parentes, os amigos com as perguntas: O que é aquilo? Que isso? Por que isso ocorre?... entre outras. Elas têm estima com o próximo, são grandes companheiras, ou seja, amigas; se veem alguém chorar vão ao encontro desse para acalmá-lo; são sentimentais, deixam-se colocar no lugar daquele que está precisando de ajuda, pensam em alguma solução. Não são sérias, brincalhonas sim, deixam todas as coisas ruins de lado para terem uma vida feliz, pois sabem que ao redor delas há pessoas que se preocupam, cuidam, amam e respeitam a todos. Elas constituem a nova geração, da qual tem pensamentos diferentes das “Pessoas Grandes”, pois se importam com o próximo, enquanto “os sérios” pensam em si mesmos, são egoístas, traiçoeiros, solitários, e, principalmente, gananciosos, só veem as coisas como propriedades deles. Posso lembrar também que, em uma das passagens do Evangelho segundo Marcos, inclusive de Mateus e Lucas, é mencionado o valor importantíssimo das crianças. Jesus disse aos seus discípulos: “Deixem as crianças virem a mim. Não lhes proíbam, porque o Reino de Deus pertence a elas. Eu garanto a vocês: quem não receber como criança o Reino de Deus, nunca entrará nele”. Elas são imagem do humilde, o necessitado, que não tem ganância, nem quer o mal, deseja seguir Deus, porque sabe que Ele escuta o humilhado que grita por ajuda.
Por fim, começo o terceiro tópico, em que o autor do livro, Antoine de Saint-Exupéry, remete a frase que usei no meu exórdio; ele demonstra claramente qual o modo de acharmos o nosso essencial; não é pelos olhos, mas pelo coração. Um exemplo disso é a escolha que São Francisco de Assis fez para a sua vida inteira, ouviu o chamado de Deus em seu interior, deixou tudo que tinha por um único ideal: foi servir os seus irmãos necessitados e excluídos, os leprosos. Grandes exemplos que lutaram pelos seus ideais foram: Mahatma Gandhi, Martin Luther king, Madre Teresa de Calcutá, Nelson Mandela, Abraham Lincoln, Dom Oscar Romero, entre muitos outros. Não é fácil encontrar o essencial no mundo em que vivemos; essas pessoas que citei são exemplos disso, elas sofreram, mas não deixaram que os obstáculos as parassem, foram fortes até o fim. Alias, o ato de dominação, ou seja, alienação é constante no dia a dia; querem que nós nos tornemos “pessoas grandes”, alienadas, do qual não pensamos em viver e procurar nossos sonhos e objetivos, mas sim, termos o foco de obtermos um mundo somente nosso, onde há solidão e avareza. Sendo classificados como pessoas muito estranhas, como disse o principezinho quando visitou os planetas desconhecidos em uma viagem à procura de um objetivo: como cuidar de sua rosa. Essa se tornou a única no universo inteiro, ele deixou-se ‘cativar’ por ela, ficaram dependentes um do outro, formaram um laço, difícil de ser rompido. Isso demonstra a dependência que temos pelos outros, o amor em querer ajudar, ir ao encontro daqueles que precisam, tentar achar o essencial que Deus revela dentro de cada um de nós. Mas, o que será esse essencial? Saberemos quando agirmos para encontrá-lo.
Então, peço a vocês, meus irmãos, que se dediquem ao máximo para seguirem seus objetivos, buscarem seus sonhos, terem mentes abertas a tudo, para que, com as experiências, possam ganhar mais sabedoria, inteligência e amor. Sejam a nova geração, porque o ato de estar a serviço do irmão é o caminho que nos leva ao ideal procurado, porém apenas achado no interior de nós. Sejamos aqueles que querem mudança, para um mundo justo e igual, onde a fonte da esperança brota na comunhão, na união entre culturas, etnias e religiões.
Termino essa minha prolação com uma frase de Mahatma Gandhi: “Seja a mudança que você quer ver no mundo”.

Tenho dito e muito obrigado.

Thierry Melo de Paula - Aspirante 3º Ano

30 novembro, 2016

Cinco pilares da formação - Na ótica dos formandos


A formação franciscana no seminário São Francisco de Assis é baseada nos cinco pilares, sendo estes: Oração, Trabalho, Estudo, Esporte/Lazer e Fraternidade. Todos estes pilares são vividos de forma balanceada em cada etapa da formação, preparando os formandos para serem futuros frades.

Mas como os seminaristas e aspirantes vêem estes pilares?

ORAÇÃO


"Na minha opinião, a oração é um meio fundamental pelo qual o ser humano busca o contato com Deus. É pela oração que a criatura é capaz de se aproximar do criador.
Por vontade de Deus, o ser humano sente, no mais profundo da alma, um vazio; um lugar à ser preenchido e por mais que ele tente preencher, tanto mais vazio acaba ficando. Nada neste mundo pode preencher esse vazio que o ser humano carrega, porque ele não foi feito para ser preenchido por qualquer coisa, mas para ser um lugar de encontro com Deus. E esse encontro só pode ocorrer pela oração. É por meio da oração que o ser humano é capaz de colocar em sintonia o seu coração com o coração de Deus.
São Francisco de Assis é um modelo para cada um de nós, quando se trata de oração, em diversos momentos da vida ele se retirava para rezar e inspirava seus irmãos a rezarem também. Certa vez, diante do crucificado, francisco questionava: "Senhor, o que queres que eu faça?" E foi por meio desta oração que São Francisco, sintonizando o seu coração com o coração de Deus, descobriu a resposta para sua vocação.
A oração nos aproxima de Deus que nos envia em Missão!"
Davi Santos Silva - Aspirante



TRABALHO


"O trabalho faz parte da nossa formação. É um trabalho saudável, não é cansativo e apenas três horas por dia. O trabalho na vida religiosa é um momento de oração e de contemplar as maravilhas que Deus criou. Busco ver Deus em tudo que nós fazemos no dia-a-dia. Sou feliz por fazer parte desta família franciscana, mais feliz quando estou trabalhando, seja qual for o trabalho que eu e meus irmãos realizamos. "O trabalho não sustenta a vocação, mas posso por o trabalho a serviço da vocação, a serviço do chamado do Senhor" disse nosso formador, Frei Elias. O importante é deixar-se ser formado para viver a vontade de Deus!"
Roberto Rocha da Silva - Aspirante


ESTUDO


"Como posso servir a meu Deus sem o estudo? Para servir a Cristo é preciso conhecê-lo e isso prova a necessidade do estudo. Aquele que estuda conhece. No projeto de vida que Cristo me apresenta há a educação como um dos seu pilares, não só a educação que vem da família, mas a educação enquanto ciência ou conhecimento.
Para melhor servir ao Povo de Deus é bom falar o Português corretamente ou até outros idiomas. Para anunciar a Boa Nova, preciso também de conhecimentos gerais para, assim, poer ajudar os irmãos em suas necessidades.
Antes de tudo Cristo nos pede um espírito bom, mas também há a necessidade de uma mente boa."

Bruno Dias de Deus - Seminarista 1º ano.


ESPORTE E LAZER


"O esporte é muito importante na formação. Pois, além ajuda-nos a ter uma saúde melhor, propicia, também, um melhor relacionamento da fraternidade. É também além de um exercício corporal, um exercício espiritual. Por isto que antes de iniciar um jogo é bom fazer uma oração para conseguirmos ter a vontade emocional e espiritual. Pois, muitas vezes sofremos pressão do adversário durante um jogo, mas temos de nos controlar para poder contribuir com o time.
Enfim, além de reforçar e ajudar na nossa saúde, também nos ajuda a melhorar o nosso espiritual."

Matheus Rodrigues - Seminarista 2º ano


FRATERNIDADE



"A vida fraterna é um dom, um presente de Deus àqueles que vivem a vida franciscana. A vida fraterna no âmbito da vida religiosa foi idealizada por Francisco. "Esforcem-se (os frades) por edificar a Fraternidade como uma família unida em Cristo" (cf. CCGG 45 §1).
Ai está! Formamos uma família unida em Cristo para vivermos seu Evangelho. A fraternidade, por sua vez, nunca estará pronta, acabada; pois a todo instante somos convidados a redescobrir a grandeza deste dom de Deus em nossas vidas e assim, dia após dia, edificarmos juntos esta família unida em Cristo para Nele encontrarmos o verdadeiro sentido e inspiração."

Lucas Moreira Almeida - Aspirante 3º ano.


E você, caso tenha interesse em conhecer melhor o Seminário São Francisco de Assis, escreva para nós!

29 novembro, 2016

Consciência: "Sacrário do homem..., encontro com Deus"




Consciência: "Sacrário do homem, no qual se encontra a sós com Deus."(Gaudium et Spes, 16-9)

Ituporanga (SC) - Neste último final de semana recebemos em nossa Fraternidade o professor de Teologia Moral do Instituto Teológico Franciscano (ITF) Frei Leonardo Aureliano dos Reis Teixeira dos Santos, para a pregação do retiro anual, que, de uma maneira muito fraterna, abriu os horizontes dos seminaristas e aspirantes sobre o tema: Teologia Moral, baseado no livro de Frei Antônio Moser.

Frei Leonardo dá breve curso de introdução à Teologia Moral
Neste retiro formativo o Frei Leonardo nos proporcionou um breve curso de introdução à Teologia Moral, tratando diversos assuntos como: O que é e o que não é pecado? como discernir? Casais de segunda união. Moral/ Lei e Misericórdia de Deus. Consciência, entre outros.

O retiro teve momentos preciosos como oração, meditação, alegria, confraternização, formação e trocas de experiências.


Iniciou-se também o tempo do Advento que, permeado de riquezas, mostrou a todos que era momento certo para aguardarmos o Senhor que vem.
Agradecemos a Deus pela vida e vocação de Frei Leonardo que muito ajudou para a nossa formação neste reta final de atividades.

Paz e bem!

Equipe de comunicação